É um blog sobre criação,

Então não preciso pedir desculpas pela quantidade de textos falando sobre a bebê por aqui, né? Afinal, faz 9 meses que estou criando minha obra prima aqui dentro de mim (obra prima essa que já está a ponto de ser lançada, e exatamente nesse momento está soluçando aqui dentro da minha barriga [sim, se você não sabia, saiba agora: bebês soluçam aqui dentro e é uma sensação sensacional!]).

Devo dizer que poderia estar mais contente com o avanço da minha produtividade em relação ao meu livro nesse início de licença maternidade criativa (que também pode ser chamado de meu sabático de 6 meses, se você considera um sabático uma fase em que você anda mais ocupada do que o normal), mas estou contentinha. Semana passada foi a última da gestação em que não havia chance de a bebê nascer (digo, até haveria, mas seria mais difícil, pois ela seria prematura), então foi a semana para dar retoques finais em tudo nessa vida pré-natal. E foi uma delícia e foi exaustiva pacas. Fora o fato de eu estar carregando três quilos se mexendo aqui dentro da barriga, resolvemos mil coisas, entre burocracias do INSS e roupinhas lavadas.

Primeiro, tivemos o chá de bebê, que foi uma delícia. Recomendo para aqueles que estão pensando se vale a pena fazer o chá ou não: vale! É demais! Não só porque você ganha muitas fraldas (obrigada, amiguinhos!), mas porque é uma festa de celebração para o bebê, numa fase em que você ainda não estará ocupada com fraldas e outras coisas que ainda não sei que existem. E as pessoas ao redor estão tão felizes e você descobre que não estará sozinha nessa empreitada tão louca! Meu chá de bebê não foi mirabolante como muitas pessoas que conhecem a Sras&Srs esperariam, mas é simplesmente porque eu e o Julio somos assim: felizes demais para nos preocupar com muitos detalhes. Conceito eu coloco só nos casamentos dos meus clientes. Nos meus eventos o conceito é ser feliz e muito prático. 😀 Valorizamos mais uma boa comilança e um atendimento bacana que uma decoração impecável. Assim, não contratamos decoração e deixamos tudo por conta da equipe do Quitandarte um café simpatícissimo em Pinheiros que fechou só para nosso evento. A Iara, dona do espaço, fez um BOLO MARAVILHOSO para acompanhar a comilança, minha mãe fez um enfeite fofo para o bolo e nós pegamos alguns dos patinhos de nossa coleção para compor a mesa. Simples assim.

Também não fizemos brincadeiras tradicionais (nem não tradicionais, a bem da verdade). O ponto alto da festinha foi uma ideia que tivemos antes mesmo de estarmos grávidos: a apresentação dos padrinhos da Rebeca. Como alguns aí devem saber, eu e marido somos meio às avessas quando o assunto é tradição religiosa. Nossa expectativa é que a menina  decida se, quando e onde se batizar quando já estiver mais crescidinha. Por isso, esses padrinhos-de-nascimento não seriam necessariamente padrinhos de batismo. Mas sim padrinhos de vida! 🙂 Assim, decidimos por bem que TODOS OS CONVIDADOS DO CHÁ seriam os padrinhos dela. Cada família ganhou um certificado de padrinhos e uma missão específica, adequada ao estilo e personalidade de cada uma. Assim, a bebê já nascerá com um monte de amigos e familiares responsáveis por cada um dos aspectos de sua vida, incluindo aí “ensinamentos sobre o metaaaaaaaaaal” e “indicações de literatura fantástica”. Foi uma ideia simples e deliciosa. Nos divertimos demais!

Fora o chá de bebê, que já deixou minhas pernas bem cansadinhas (a pessoa nunca usa salto na vida e resolve tirar do armário a sandália de salto, com 9 meses de barriga!), minha mãe passou em casa e lavamos as roupinhas da bebê. Devo dizer: o cheiro de bebê pela casa e o varal cheio de mini-roupas é um susto maravilhoso! Aproveitei para fazer a mala da maternidade, com cada roupa separadinha, lista escrita no computador e tudo mais porque somos meio organization-freaks aqui em casa (e porque o hospital pede uma lista gigante de roupas, uma loucura).

Aí, para finalizar, rolou a arrumação final da casa! O quarto da bebê está 99% pronto e o quarto dos papais também. Só falta pendurar os quadros! Sim, você leu certo: o quarto dos papais também ganhou um upgrade. Isso porque em 7 anos de terapia eu descobri que se direcionasse todo o capricho, mudança, cores alegres e carinho apenas para o quarto da bebê, esse poderia ser o primeiro passo para daqui a alguns anos eu olhar para o meu quarto sem cores e sem móveis novos e falar “ME ESQUECI DE MIM E SÓ PENSEI NA MINHA FILHA OH NÃOOOO” e isso, meus amiguinhos, não pode acontecer. <3 Mas só vou colocar fotos do quarto da bebê aqui por motivos de É MUITO MAIS FOFO E GERA MAIS CLIQUES. Estou muito orgulhosa desse quarto. No início da gestação eu tinha planos um tanto quanto blogueirísticos de contratar um arquiteto pra fazer esse quarto, mas aí percebi que a gente ia dar conta de fazer tudo sozinhos, e ainda ia conseguir fugir daquele padrão “escandinavo”, cinzinha mimiminho que tá na moda (ai gente, quero cores, cores!!!!). E enfim, saiu assim. Taí o fofucho, desenhado em detalhes só por mim, meu marido e minha mamis. E o mais legal: sem gastar os tubos, até porque reaproveitamos muitas coisas que já tínhamos aqui em casa (nessas horas, é muito bom gostar de móveis e objetos com cara de criança)! As fotos não ficaram incríveis porque tirei com meu celular ruim. Um dia levarei mais a sério a qualidade da mídia desse blog, diz ela, sem acreditar.

One thought on “É um blog sobre criação,

  1. Ahhhhhh… Amei o texto! Que delícia de fase Fran.
    Lendo tudo isso me deu até vontade de ter uma bb…
    Queria mais fotos do quarto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Proudly powered by WordPress
Theme: Esquire by Matthew Buchanan.