Um post sobre banheiros.

dc7enjoGi

Bem, eu… (mais ou menos como começa aquela propaganda HORROROSA do Spotify – sério que tenho vontade de assinar o premium só para parar de ouvir anúncios tão malfeitos) eu me orgulho em dizer que sou uma crítica de banheiros.

Quando viajo ou vou conhecer um lugar novo, adoro ver qualé a do banheiro. Entender as diferenças culturais, a existência ou não de lixos, o tipo de sabonete, os costumes. Devo dizer que poucos lugares do mundo têm banheiros tão limpos e confortáveis quanto os do Estado de São Paulo (amém!). Acho interessante como, em muitos países, mesmo restaurantes chiques não se importam com a situação de seus banheiros e como banheiros simples são bem cuidados por aqui.

Isso em mente, fico pessoalmente ofendida quando vou a um banheiro mal usado. Xixi no assento, descarga não dada, cestinho de lixo com papel saindo pelos cantos. De fato, pensando que não é possível mulheres de alta classe e compreensão cultural (parece que quanto mais chique o shopping, mais nojento o banheiro) não terem a noção básica de boas maneiras toaléticas, e pensando que um dos principais causadores de tal balbúrdia no banheiro feminino é a impressão errada de que é proibido sentar em vasos públicos (explico abaixo), decidi criar um guia sobre o uso correto de banheiro públicos no Brasil (no Brasil, porque fora dele é um tal de não ter cestinho de papel e loucuras afins, que prefiro não me comprometer). É o guia que vou pendurar na porta do banheiro quando eu tiver filhas, em busca de um mundo mais cheiroso e polido, um vaso sanitário por vez.

  1. Escolhendo o banheiro: tome tempo. Não precisa entrar na primeira cabine que viu. Entre em uma cabine que esteja com a tampa aberta. Se não houver uma que siga esse perfil, antes de abrir a tampa dê descarga. Assim você não precisa sofrer com surpresas desnecessárias.
  2. Talvez esse seja o item mais polêmico: eu sou contra o xixi-agachamento, que fortalece as pernas, mas não ajuda em nada na higiene como um todo. Portanto, dividi essa parte em subtópicos.
    1. Se você tiver um nojo mortal do banheiro em que está indo ou tiver medo de pegar alguma doença bizarra nele, aí talvez seja o caso de rever os lugares que você frequenta. Se não for esse o caso, então para de frescura. Você sobrevive.
    2. Dê uma olhada geral no assento. Normalmente, ele vai ter xixi. Sim, desculpe a escatologia, mas é verdade. E esses xixis são culpa das adeptas do xixi-agachamento, que perdem a assertividade, a mira e a paciência nessa posição desconfortável, querendo se livrar logo de seu problema e esquecendo de suas amigas que vão usar o banheiro depois delas. Como se livrar dessa nojeira? Passando um papel no assento. Sim, simples assim. Passa um papel no assento, joga fora e senta, confortável e limpinha.
    3. Não tem papel? Nem nesse banheiro, nem em outros, nem na sua bolsa, nem fora do banheiro? Aí sim, AÍ SIM EU DEIXO, você vai ter que fazer o xixi-agachamento. Mas faça como uma lady: levante o assento (não se preocupe, você vai lavar a mão depois, né?) e faça o xixi-agachamento sem correr o risco de sujar ainda mais o assento.
  3. Acabou? Faça o que tem que fazer (acho que não preciso entrar nesse detalhe) e coloque o papel no lixo. Não, não estou falando pra você jogar o papel no lixo. COLOQUE o papel no lixo. Não se preocupe, você não vai sujar sua mão porque você vai entrar em contato apenas com a parte limpa do seu papel – use seu papel para empurrar o conteúdo do cesto de lixo, não contribuindo, assim, para que o lixo transborde. Se ele já estiver transbordando, esse hábito vai ser bom da mesma maneira. Se ele já estiver transbordado de maneira nojenta e seu detrito for apenas papel, é melhor jogar o papel na privada e pronto.
  4. Não dê descarga. Achou que seria fácil assim? Antes de dar a descarga, FECHE A TAMPA DA DESGRAÇADA DA PRIVADA. Depois, aí sim, evitando que todo seu cuidado vá por água abaixo e que a descarga desconhecida espirre por todos os lados, dê descarga.
  5.  Aí, abra a tampa novamente (a não ser que você esteja em sua casa, aí super indico deixar fechada, acho mais arrumadinho), para que outras usuárias entrem e não precisem sofrer no passo 1 dessa regra.
  6. Por fim, antes de sair, confira se você deixou alguma sujeira – e isso vale para sujeiras suas ou de outras usuárias porquinhas antes de você. Limpe o assento novamente com o papel, se for o caso, tire papéis do chão, se possível.
  7. Lave as mãos com sabonete – e se não tiver sabão, lave com muita água (e carregue um trequinho de álcool gel na bolsa).
  8. Sobre enxugar as mãos, fica a dica de sempre: papel suficiente para secar as mãos (e um papel para tirar o excesso de oleosidade do nariz, coisa minha), jogados no lixo junto a qualquer resto de sua presença ali (resto de pasta de dente, maquiagem, cabelo etc.). Não use aqueles secadores de vento porque eles demoram e são chatos – e por mais agradável que seja o banheiro público, você não quer passar 15 minutos a mais por ali.

É isso. Um post de utilidade sanitária pública, baseado exclusivamente em minha vivência. Do jeito que tem que ser. 😀 Também tem alguma técnica-ninja de boas maneiras no banheiro e quer dividir comigo? Está super convidado(a)!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.