keep calm and smash the potato sacks

Eu sei, eu sei que existem milhões de assuntos que estão na boca de todo mundo por aí (todo mundo menos a Luíza que está no Canadá) e que eu poderia dar minha opinião sobre eles aqui. O absurdo no BBB, o SOPA, os aprendizados que estou tendo com o projeto com meus avós, minha raiva do tamanho do mundo perante a mulheres que agem como sacos de batata na vida profissional, o novo jeito que descobri de secar meu cabelo, mas isso todo mundo já disse, todo mundo já sabe. É que passei no blog do Seth hoje e algo saltou aos meus olhos. E digo mais: esse algo não só saltou, como saltou e fez esta dança dos Nicholas Brothers aos meus olhos.

Eis o algo:

“The thing is, we still live in a world that’s filled with opportunity. In fact, we have more than an opportunity — we have an obligation. An obligation to spend our time doing great things. To find ideas that matter and to share them. To push ourselves and the people around us to demonstrate gratitude, insight, and inspiration. To take risks and to make the world better by being amazing.”

Seth Godin

Eu TATUARIA essa frase (se eu fosse dessas).

Ah. E se quiser ver algumas opiniões minhas sobre os assuntos supracitados, não deixe de me seguir no Twitter. Ando tagarela por lá.

E pra não falar que não falei do SOPA:

Chorei com poesia falada – e olha que nem gosto de poesia

Quarta feira daquelas que você não sabe bem se vai, se fica, se sobe, se desce, se chega no trabalho e só fica de fone torcendo pra ninguém olhar pra você.

E meu diretor me manda esse vídeo.

de porque eu ando até meio adoentada por não parar de não parar

“… o moralista, o próprio filósofo só querem ver o criminoso: refazem o mal à imagem e semelhança do homem. Não têm ideia alguma sobre o mal em si, essa enorme aspiração do vazio, do nada. Porque se nossa espécie deve perecer, perecerá de repugnância, de tédio. A pessoa humana terá sido roída, lentamente, como uma trave, por esses cogumelos invisíveis, que, em algumas semanas, transformam um pedaço de carvalho em uma matéria esponjosa onde se pode enfiar o dedo, sem esforço. E o moralista discutirá paixões, o homem de Estado multiplicará guardas e funcionários, o educador redigirá programas – gastar-se-ão tesouros para trabalhar, em vão, sobre uma massa já sem fermento.

(Veja, por exemplo, essas guerras generalizadas que parecem denotar uma atividade prodigiosa do homem, quando, ao contrário, não revelam mais que sua apatia crescente…)”

Georges Bernanos, Diário de um Pároco de Aldeia

é hora de MUDAR.

Nada melhor que o primeiro dia do ano pra falar que tem hora que é hora de largar tudo e começar algo novo – às vezes, na loucura, às vezes, de caso bem pensado. E quando os dias no escritórioagênciaprodutora não cabem mais no seu dia?

O site Cards of Change  reúne cartões de visita de pessoas que chegaram lá, mandaram tudo aos batatais e foram atrás de alguma outra coisa. É divertido, é curioso e, acima de tudo, é inspirador.

Quer mais, quer mais? Então se cadastre no revolution.is e receba toda semana uma história de alguém que pulou alto. Tudo bem que a maioria dessas pessoas fez isso porque tinha algum patrocínio por trás (ninguém vai morar na Índia se alimentando de luz), mas isso é assunto pra outro post um pouco menos positivo. : D

Vem ni mim 2012, se você não vier, eu vou!

Proudly powered by WordPress
Theme: Esquire by Matthew Buchanan.